nossas notícias

Ex-aluno do UniSALESIANO lança o “Atlas Citológico”
Fotos: atlascitologico.com

Grande parte do conhecimento que o biomédico Mateus Peruzzo Correia, de 23 anos, adquiriu ao longo do Curso de Biomedicina no Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium (UniSALESIANO) de São Paulo, hoje é estampado no “Atlas Citológico – Fundamentos Científicos e Morfológicos”.

 

A ideia de criar um atlas surgiu quando o jovem começou a fazer estágio no Instituto de Patologia de Araçatuba e teve contato com a área de citopatologia. “De início, comecei trabalhando na parte técnica, realizando colorações, montagens e preparações de lâminas. Alguns meses depois, comecei a estudar a fundo a citologia, através de ensinamentos, treinamentos e visualizações microscópicas. Daí, então, foi que o projeto nasceu em meu coração”, explicou.

 

O Atlas Citológico se torna fundamental porque existe uma variedade de diagnósticos e cada um deles é de extrema importância para o futuro do paciente. “Então, o Atlas foi desenvolvido para o auxílio, ajuda e expansão dos conhecimentos microscópicos dentro do ramo citopatológico. Trata-se de uma base concreta com apoio aos conceitos fundamentais de elaborações de laudos laboratoriais voltado ao meio citológico”, explicou.

 

O acesso ao documento criado pelo ex-aluno do UniSALESIANO garante aos profissionais e alunos da área da saúde conhecimento dos métodos básicos de confecções de lâminas hematológicas, coletas cervicos-vaginais e as colorações. Também possui uma listagem com os diagnósticos a serem aplicados após a visualização microscópica, bem como suas respectivas morfologias, desde amostras sem indícios de malignidade até históricos de neoplasias.

 

 Sonho 

 

Correia contou que sempre foi apaixonado por biologia, principalmente, quando descobri que ela era interligada com a saúde humana. “Eu sempre sonhei em poder ajudar as pessoas, cuidando do que mais importa na vida, nosso bem-estar. E estou realizando esse sonho”, finalizou.

 

O Diretor do UniSALESIANO, Pe. Erondi Tamandaré, se recorda que sonhar é importante, pois um sonho é um horizonte a se tornar realidade através de um itinerário percorrível com determinação e disciplina, assim, fazendo o sonho se tornar realidade. “Não esqueçamos que nossa obra surgiu de um sonho de um menino órfão, pobre, de nove anos de idade”, concluiu.

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação - Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium (UniSALESIANO)