nossas notícias

Projeto Casa Real desperta o papel social do arquiteto
Grupo de alunos da FATEA reformou o CADEVI. Fonte: Bianca de Freitas.

A cada dois anos, o 5º período do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Teresa D'Ávila (Unifatea), em Lorena-SP, reúne-se em equipes para buscar um local que necessite ser transformado de dentro para fora, experimentando e despertando o papel social do arquiteto. Trata-se do Projeto Casa Real, que desde 2011 já promoveu a reformulação de três espaços: uma casa no interior da faculdade (2011), um lar de idosos (2013) e um centro para deficientes visuais (2015). As atividades de 2017 já estão começando e são focadas nas áreas sociais do bairro Novo Horizonte, em Lorena.


“O projeto influencia experiências de troca, em que os estudantes levam à comunidade civil os conhecimentos específicos de arquitetura e urbanismo, e retornam à comunidade acadêmica com o conhecimento adquirido em suas atividades”, destaca o coordenador do curso, José Ricardo Faria Flores.

 

Os alunos trabalham em equipe e participam de todas as etapas de um projeto arquitetônico, desde as ideias preliminares até a fase de execução, pondo em prática todo conhecimento adquirido e vivenciando o dia a dia de uma obra. “É um grande diferencial dentro do curso e mostra, também, que é possível transformar espaços, criar novos ambientes e possibilitar diversas soluções criativas com baixo custo”, ressalta o coordenador.

 

Projetos ano a ano


2011: Casa do pátio
O primeiro projeto foi o desafio de, em apenas 40 dias, transformar a casa existente no pátio interno da Unifatea, dando um novo visual à edificação. A casa apresentou cinco ambientes internos e um externo, cada um idealizado por uma equipe de alunos.

 

2013: Lar de Idosos Vila Vicentina

Com o tema “Bem Morar”, o projeto proporcionou a revitalização de oito ambientes diferentes no Lar: seis em áreas internas e dois em áreas externas, com interferências de fachada e paisagismo.

 

2015: Cadevi
Cerca de 80 alunos do curso planejaram e executaram uma intervenção em ambientes no Centro de Atendimentos aos Deficientes Visuais (Cadevi), em Lorena. A escola atende 30 alunos da cidade e região portadores de algum tipo de deficiência visual. Os estudantes do Unifatea desenvolveram soluções e melhorias para: fachada principal, pátio, jardim sensorial e sala sensorial, na parte externa, e biblioteca, sala de reuniões, diretoria, refeitório e sala de aula, na parte interna da escola. Um dos destaques foi o jardim sensorial, cujo objetivo é aguçar todos os sentidos do corpo humano com diversos recursos paisagísticos.

 

2017: Bairro Novo Horizonte
Neste ano, o Projeto Casa Real vai beneficiar o bairro Novo Horizonte, com a revitalização paisagística  no entorno do Rio Mandi, bem como da escola, do posto de saúde e da quadra de esportes locais. Outras ações ainda poderão ser elaboradas pelas equipes de alunos, em função de patrocínios, que deverão buscar no primeiro semestre de 2017.